Em Mossoró, quatro acusados de matarem desafeto em 2019 são condenados a 58 anos de prisão pelo Tribunal do Júri Popular

0

O Tribunal do Júri Popular de Mossoró julgou nesta terça feira 20 de julho de 2021, quatro réus acusados, pelo Ministério Público de matarem a tiros, Daryo Magdyel Barbosa Ferreira, crime ocorrido no dia 28 de outubro de 2019, no Conjunto Jardim das Palmeiras, no bairro Dom Jaime Câmara em Mossoró. 

Segundo a investigação da Polícia Civil, Ozimar Cardozo de Lemos Filho, Welton Sobrinho, Lucas Mateus Gomes da Silva e Francisco Iranilson Bezerra, teriam matado a vítima motivados por brigas envolvendo facções criminosas rivais.

Daryo Magdyel, foi baleado no Conjunto Jardim das Palmeiras, região do Bairro Dom Jaime Câmara e morreu no Hospital Tarcísio Maia, para onde foi levado pelo SAMU. (Relembre)

O ministério público foi representado pelo promotor de justiça Carlos Henrique Happer Cox, que defendeu a tese de homicídio duplamente qualificado. Já a defesa representada pelos advogados, Pablo Kenderson de Oliveira Paiva – OAB/RN 16234 e José de Anchieta da Costa Lima, que defenderam a tese de negativa de autoria.

Ao final dos debates travados pela defesa e acusação, o Conselho de Jurados, formado por membros da sociedade, decidiu acatar a tese do ministério público e optou por condenação dos réus, cuja pena somatória foi de 58 anos de prisão em regime fechado. A pena individual ficou assim estabelecida: Ozimar Cardozo foi condenado a 14 anos, Welton Sobrinho, pegou 14 anos, Lucas Matheus também 14 anos. A pena maior foi dada a Francisco Iranilson, condenado a 16 anos.

capa
Foto/Fim da Linha

Fim da Linha

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui