Menino de 5 anos cai em poço de 32 metros no Marrocos; resgate chega ao terceiro dia

0
Socorristas atuam em e resgate de menino de cinco anos que ficou preso em poço no Marrocos Foto: - / AFP

RABAT — Um menino de cinco anos, identificado como Rayan, está preso desde a noite de terça-feira em um poço de 32 metros de profundidade na cidade de Bab Berred, na província de Chefchaouen, Marrocos. A operação de resgate já dura três dias, mas autoridades acreditam que o trabalho deve chegar ao fim nesta sexta-feira.PUBL

Na noite de quinta-feira, uma câmera confirmou que o menino estava vivo, apesar de ter ferimentos na cabeça e sinais de fraqueza. Ele já teve acesso a máscara de oxigênio, comida e água. Uma equipe médica está de plantão no local, bem como um helicóptero, para levá-lo ao hospital assim que for resgatado.

— O resgate da criança está se aproximando. Nossos corações estão com a família e estamos orando para que ele volte para eles o mais rapidamente possível — disse em entrevista coletiva na quinta-feira o porta-voz do governo, Mustapha Baitas.

Marroquinos esperaram ansiosamente pelo desfecho do trabalho considerado "dramático" pelas autoridades Foto: - / AFP
Marroquinos esperaram ansiosamente pelo desfecho do trabalho considerado “dramático” pelas autoridades Foto: – / AFP

O buraco é estreito e de difícil acesso. Por isso, foi necessário realizar uma perfuração parela ao poço. Faltam cerca de três metros para chegar ao local onde está Rayan. A operação atingiu um nível “sensível” neste momento, por conta do risco de erosão do solo.

— O problema deste resgate é que o diâmetro do buraco é muito, muito pequeno, cerca de 25 cm. Na profundidade de 28 metros, onde chegamos agora, é menor ainda — disse à BBC Mohamed Yassin El Quahabi, presidente da Associação de Espeleologia de Chefchaouen.

‘Sinto falta dele’, diz avó

Conforme a emissora Sky News Arabia, a mãe do menino, que acompanha de perto o resgate, disse a jornalistas que a família procurou Rayan por todos os lugares até ouvir gritos vindo do poço. Logo depois, acionaram as autoridades.

O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui