MP deverá fazer laudo para saber se houve homofobia em caso de advogado morto no RN, diz delegado

0

Policiais civis da Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa de Mossoró (DHM) deram cumprimento, nesta segunda-feira (25), a um mandado de prisão preventiva em desfavor de Ialamy Gonzaga, 25 anos, conhecido como “Júnior Preto”.

Ele, que se apresentou à unidade, é investigado pela suspeita da prática do homicídio de Eliel Ferreira Cavalcante Júnior. O crime ocorreu no dia 09 deste mês. Durante as investigações do caso, Ialamy Gonzaga foi identificado como o autor dos nove disparos que vitimou Eliel Ferreira, mas se manteve foragido até então.

Ialamy Gonzaga foi ouvido e confessou a autoria do crime. No entanto, declarou que a motivação decorreu da crença de que Eliel Ferreira estava cometendo um crime de roubo. Ele foi encaminhado para o sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Homofobia

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Rafael Arraes, a versão apresentada pelo advogado da família, em que Eliel teria sido morto por homofobia, deverá ser apurada pelo Ministério Público. A partir do laudo apresentado pelo órgão, a justiça deverá decidir comprovar e decidir a sentença.

Agora RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui