Caso Daniel Alves: exame comprova que DNA encontrado na vítima é do lateral-direito

Os jornais El Periodico e El Mundo, da Espanha, confirmaram, nesta sexta-feira (10), que os exames do DNA coletado no corpo e na roupa da mulher, de 23 anos, que acusa Daniel Alves de estupro, e no banheiro da casa noturna Sutton, onde teria acontecido o ato, mostram que o material pertence a Daniel Alves.

Os laudos do Instituto Nacional de Toxicologia e Ciências Forenses da Espanha informam que foram encontrados restos de sêmen do lateral-direito dentro do corpo da mulher, na região intravaginal.

As amostras foram comparadas com o material entregue por Daniel Alves, no dia 20 de janeiro, quando foi voluntariamente prestar depoimento sobre o caso na Mossos d’Esquadra, como é chamada a polícia de Barcelona. 

Leia mais