Budweiser leva à Argentina cervejas não vendidas no Catar e planeja celebrações pela vitória na Copa

A Budweiser anunciou, nesta segunda-feira (19), mais detalhes sobre as celebrações com as cervejas que não foram vendidas no Catar. Os eventos acontecerão em várias cidades da Argentina, país vencedor da Copa do Mundo.

Patrocinadora do torneio, a Budweiser foi surpreendida pela medida anunciada de última hora pelo Catar em novembro, de que proibiria a venda de cervejas nos estádios da competição.

Com isso, a companhia prometeu que enviaria as milhares de latas que deixaram de ser vendidas para o país vencedor da Copa.

Leia mais

Nos pênaltis, Argentina conquista o tricampeonato mundial e consagra Lionel Messi

A conquista da última Copa América, no Brasil, encerrando um jejum de 28 anos sem títulos oficiais, devolveu à Argentina o prazer de celebrar. A vitória sobre a Itália na Finalíssima, duelo entre os campeões sul-americano e europeu, mostrou que os hermanos queriam mais. Queriam o mundo. E ele veio, após 36 anos de espera e dois vices dolorosos (1990 e 2014). Neste domingo (18), a equipe albiceleste derrotou a França por 4 a 2 na disputa de pênaltis, após empate de 3 a 3 com a bola rolando, no Estádio de Lusail, na decisão da Copa do Catar, assegurando o tricampeonato mundial.

Campeã em casa, em 1978, e no México, oito anos depois, a Argentina ergueu a taça do mundo pela primeira vez longe do continente americano. Em 22 edições, esta é a terceira vez que o feito acontece. As anteriores foram em 1958 (Suécia) com o Brasil e em 2014 (Brasil) com a Alemanha.

Assim como em 1986, o título argentino tem um protagonista destacado. Se lá atrás, o cara foi Diego Armando Maradona, desta vez, teria de ser Lionel Messi. Quis o destino que o craque, de 35 anos, na última Copa da carreira, pudesse, enfim, levantar a taça mais cobiçada do planeta. Mais que isso, sendo o maestro de uma equipe que jogou, é claro, pelo país, mas também pelo camisa 10. Além de campeão, Messi encerrou a competição como vice-artilheiro (com sete gols) e jogador com mais partidas na história dos Mundiais (26, à frente do alemão Lothar Matthäus).

Leia mais

Portugal faz 6 x 1 na Suíça e enfrenta Marrocos nas quartas da Copa

Portugal mostrou, nesta terça-feira (6/12), que não é mais tão dependente de Cristiano Ronaldo. Com o astro começando no banco, os portugueses atropelaram a Suíça por 6 x 1 e garantiram a última vaga nas quartas de final da Copa do Mundo do Catar.

Agora, Portugal encara a seleção de Marrocos, no sábado (10/12), às 12h (horário de Brasília). Os marroquinos eliminaram a Espanha nos pênaltis.

As duas seleções apresentam retrospecto equilibrado. Nos últimos cinco jogos, eram três vitórias para Portugal e duas para Suíça. Porém, a seleção lusitana fez mais gols, nove contra quatro. A partida começou com Cristiano Ronaldo no no banco pela primeira vez em suas participações em copas.

Leia mais

Messi perde pênalti, mas Argentina vence e avança para pegar a Austrália nas oitavas de final

A Argentina venceu a Polônia, por 2 a 0, nesta quarta-feira (30), no estádio 974, em Doha, na Copa do Mundo do Catar. Classificados em primeiro do grupo C, os argentinos enfrentarão a Austrália nas oitavas de final, no próximo sábado (2), às 16h (de Brasília). Apesar da derrota, os poloneses também se classificaram.

Antes do jogo, a equipe estava em segundo da chave, atrás dos próprios poloneses, com três pontos. Ainda tinham a ameaça de serem eliminados caso fossem derrotados se sofressem um revés e a Arábia Saudita superasse o México.

Tentando desviar a bola que sobraria para Messi na pequena área, o goleiro polonês acabou acertando o rosto do argentino. Após revisão no VAR, o árbitro Danny Makkelie marcou penalidade máxima aos 37 minutos.

Leia mais

Messi faz gol, Argentina vence México e sobrevive na Copa do Mundo

A partida valia a sobrevida da Argentina no Catar 2022. A Argentina venceu o México por 2 a 0 neste sábado (26), no estádio Lusail, e segue com chances de avançar às oitavas de final.

Como haviam perdido a partida de estreia, para os sauditas, os argentinos precisavam da vitória a todo custo. Uma derrota significaria a volta mais cedo para casa.

Os gols

Leia mais

Figurino de Deborah Secco usado em programa da Copa gera polêmica

A estreia da atriz Deborah Secco como comentarista da Copa do Mundo do Catar no programa Tá na Copa, do SporTV, no último domingo (20/11), deu o que falar — e não foi pelo teor dos comentários da artista. Deborah se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter após os internautas opinarem sobre a roupa usada por ela no programa: a camisa social tradicional dos apresentadores estilizada como um cropped e uma calça de cintura baixa com parte da calcinha à mostra.

O look, publicado por Déborah antes mesmo da estreia, foi alvo de críticas e elogios. Para uma parte dos usuários do Twitter, a roupa sexualizou a imagem feminina, que luta tanto por um espaço igualitário em programas esportivos. “Obrigada Déborah Secco pelo desserviço de reforçar que mulher no futebol só serve para ser sexualizada”, escreveu uma internauta.

“Vendo agora o traje da Deborah Secco e penso: tanta mulher fod* que se desdobra de estudar e tentar conquistar espaço, pra vir alguém totalmente fora do eixo do jornalismo e tomar uma iniciativa dessa sabendo de todo contexto do que é ser mulher falando ou fazendo futebol. Cansa”, opinou outra usuária.

Leia mais

Ingressos para a Copa do Qatar são os mais caros da história

Os ingressos para as partidas da Copa do Mundo no Qatar são os mais caros já registrado entre as edições do torneio. Os valores são cerca de 40% maiores do que os registrados há 4 anos na Rússia, quando um assento custava em média US$ 254 -R$ 1.264 na cotação de sexta-feira (18.nov.2022). Agora, será preciso desembolsar em média US$ 340 (R$ 1.827,62 na cotação atual).

Segundo um estudo da Keller Sports, empresa esportiva de Munique (Alemanha), os preços dos ingressos são os mais caros nos últimos 20 anos. Os valores para partidas finais chegam a ser até 59% mais altos do que em 2018.

“A Copa do Mundo no Qatar já é considerada a mais cara de todos os tempos. A construção de 6 novos estádios e a reforma completa de outras duas arenas no país teriam custado cerca de US$ 3 bilhões”, diz o texto.

Leia mais