Entidades do turismo e hotelaria cobram definição sobre Hotel BRA

Entidades ligadas ao turismo, hotelaria, bares e restaurantes criticam a demora para resolução das questões envolvendo o Hotel BRA, embargado há 18 anos e em ruínas na Via Costeira. A TRIBUNA DO NORTE revelou com exclusividade que a Prefeitura de Natal espera decisão da Justiça para demolir o 8º andar da estrutura. Representantes do setor produtivo lamentam o impasse diante do potencial inexplorado da Via Costeira e afirmam que os escombros do BRA prejudicam a imagem de um dos principais cartões-postais da capital potiguar.

A presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens do Rio Grande do Norte (ABAV-RN), Michelle Pereira, cobra agilidade na destinação do hotel e diz que o “esqueleto” do BRA chama a atenção negativamente de quem passa pela região. “Temos ali uma imagem de uma coisa que poderia ser mais uma hospedagem, mais um espaço bacana, mas está daquele jeito. Natal é uma das cidades do Nordeste com mais leitos e atende muito bem o turista. Ao mesmo tempo, a gente tem aquilo ali, deixando feio a cidade para quem vem para cá e, claro, para o próprio natalense também”, diz.

Michelle Pereira, que também é hoteleira, diz que o prédio abandonado é alvo constante de perguntas de quem passa pelo local. “Normalmente quando você vai fazer um passeio pelo litoral norte ou pegando ali o pôr do sol do Potengi, o receptivo vai pela Via Costeira e os turistas perguntam o que era aquilo, o que deveria ser e infelizmente o guia precisa explicar. Isso é ruim, é constrangedor, é difícil para a imagem de um lugar que deveria ter hotel, bares, restaurantes”, comenta.

Leia mais

Governo do RN vai acionar a Justiça para retomar posse de oito terrenos da Via Costeira cedidos à iniciativa privada

O Governo do Estado vai acionar a Justiça para retomar a posse de oito terrenos da Via Costeira. As áreas foram cedidas à iniciativa privada ainda na década de 1990 para a construção de hotéis, bares e restaurantes, mas as obras não avançaram.

Os contratos de concessões dos terrenos se encerraram em 2003, mas acordos celebrados por Companhia de Processamento de Dados do Rio Grande do Norte (Datanorte) e empresas, entre 2007 e 2010, inclusive com o aval positivo da Justiça, acabaram renovando as autorizações para construir.

No entanto, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) entende que os acordos estão “contaminados” por uma série de “vícios formais e materiais” e, por esse motivo, solicitará ao Judiciário que desconsidere os termos já firmados. O último investimento na Via Costeira aconteceu há duas décadas, com a construção do SERHS.

Leia mais

Herdeiro do Hotel Parque da Costeira é condenado pelo TRT-RN por ligitância de má-fe

Os desembargadores da Segunda Turma de Julgamentos do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) decidiram, por unanimidade, aplicar multa por litigância de má-fé, no valor de R$ 192.839,31, no julgamento de um recurso apresentado por um dos herdeiros do hotel Parque da Costeira contra decisão da 3ª Vara do Trabalho de Natal.

Na ação, o empresário cobrava da empresa o pagamento de salários (oficiais e por fora), além de bônus de performance no valor de R$ 250 mil, depósitos do FGTS e outros benefícios não recebidos, no valor total de R$ 4,5 milhões.

Ele tentou homologar, na Vara, um acordo em que a empresa se comprometia a pagar esse valor ao reclamante. Ao analisar os termos do acordo, porém, o juízo da 3ª Vara da capital questionou os termos e valores do acordo e reconheceu o direito do reclamante ao pagamento de R$ 452 mil.

Leia mais

VÍDEO: Ministros do STF são xingados na saída de hotel em NY

Os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski foram xingados no domingo (13.nov.2022) por brasileiros em Nova York (EUA) no momento em que os 2 magistrados deixavam o Hotel Sofitel, onde estão hospedados, e entravam em uma van.

Gilmar e Lewandowski estão em Nova York para participar do Lide Brazil Conference, no HCNY (Harvard Club of New York), na segunda-feira (14.nov.2022), com 4 ministros do Supremo: Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Roberto Barroso.

O 1º a sair do hotel foi Gilmar Mendes, 66 anos. Foi recebido com xingamentos de baixo calão. Segundos depois sai Lewandowski. Em vídeo compartilhado nas redes sociais, é possível ouvir o provável autor da filmagem confundindo o ministro do STF com o ex-presidente Michel Temer.

Leia mais