Urgente: Polícia Civil indicia Secretário de Saúde e assistente social de município do RN

Policiais civis da 29ª Delegacia de Polícia (DP de Ielmo Marinho) indiciaram, nesta segunda-feira (17), o Secretário de Saúde de Ielmo Marinho e uma assistente social por uso de documento falso. Uma médica, que trabalhava no referido município, percebeu que a Secretaria de Saúde estava utilizando receita médica falsa, na qual constava o seu nome, para aquisição de medicamentos controlados, entre setembro de 2022 e janeiro de 2023.

De acordo com as investigações, o Secretário de Saúde de Ielmo Marinho entregou receita médica falsa à assistente social, que a repassou, juntamente com um medicamento, para um paciente. Ambos sabiam que a receita era falsa. Além disso, foi emitida uma falsa declaração de recebimento de medicamento pela Secretaria de Saúde, pois um dos pacientes não chegou a receber o remédio.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações, de forma anônima, por meio do Disque 181.

Leia mais

Polícia Civil conclui investigação e indicia suspeitos pelo homicídio de um sargento da PM em São Gonçalo do Amarante

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte (PCRN), através da 12ª Delegacia de Homicídios (DH de São Gonçalo do Amarante), indiciou, nesta sexta-feira (30), Dioclécio Rodrigues do Nascimento, vulgo “Coringa” ou “Maquita”, 25 anos, e Josenildo Santos de Morais Júnior, vulgo “Juninho de Jecaré-Mirim”, 23 anos, pela autoria do crime de homicídio triplamente qualificado praticado contra o sargento da Polícia Militar José Ailton de Lira (mais conhecido como sargento “De Lira”), ocorrido no dia 26/01/2018, no “Lago do Jacaré Bar”, em Jacaré-Mirim, São Gonçalo do Amarante.

Na ocasião, o policial estava jogando sinuca no bar quando dois homens com camisas nos rostos entraram e atiraram na vítima. Um dos homens que entrou armado foi identificado como Dioclécio Rodrigues, vulgo “Coringa” ou “Maquita”. Apurou-se, ainda, que Josenildo Santos, vulgo “Juninho de Jacaré-Mirim”, viu o policial “De Lira” no bar distraído e saiu do recinto para avisar aos executores do homicídio, os quais chegaram logo após a saída de “Juninho”.

Dioclécio Rodrigues e Josenildo Santos já se encontram presos por outro crime e estão à disposição da Justiça. Os demais suspeitos que participaram do homicídio estão mortos.

Leia mais