Ministério Público abre investigação sobre a emissão de pacotes da 123 Milhas

O Ministério Público de São Paulo abriu um inquérito civil para apurar a conduta da agência de viagens 123 Milhas, que suspendeu a emissão de bilhetes de viagens e de pacotes promocionais. Em Minas Gerais, já há 600 processos contra a empresa.

A Justiça mineira tem registrado, em média, 4 processos por hora contra a empresa desde a suspensão dos pacotes promocionais na sexta-feira (18).

Um dos principais questionamentos dos clientes tem sido a proposta de ressarcimento feita pela 123 Milhas de oferecer vouchers parcelados e que devem ser trocados por passagens, hotéis e pacotes na própria agência. Cada cupom só pode ser usado para uma única compra, o que acaba obrigando o consumidor a desembolsar mais dinheiro para fechar o serviço.

Leia mais

Ministério negociado por Lula com centrão tem conselho loteado por PSB de Márcio França

Os conselhos de aeroportos concedidos à iniciativa privada, mas que mantêm 49% de participação estatal, foram loteados com a indicação de oito pessoas ligadas ao PSB, partido do ministro de Portos e Aeroportos, Márcio França.

Os oito conselheiros, que não têm experiência prévia no setor, de acordo com os currículos divulgados, foram indicados formalmente pela Infraero, subordinada ao ministério.

França está sob risco de ceder o cargo ao Republicanos na dança de cadeiras que Lula negocia para atrair o centrão para sua base de apoio.

Leia mais

Em reunião, Lula decide que Camilo Santana será o futuro ministro da Educação

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, acertou na noite desta segunda-feira (19) que o ex-governador e senador eleito Camilo Santana (PT-CE) será o futuro ministro da Educação. O martelo foi batido numa reunião em Brasília com a participação da atual governadora do estado, Izolda Cela, que será a secretária nacional de Educação Básica. Também participaram da reunião o futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad e o governador eleito do Ceará, Eumano de Freitas.

O convite de Lula ao senador eleito Camilo Santana havia ocorrido na semana passada.

Inicialmente o nome de Izolda era cotado para assumir a Educação. Isso porque Lula havia decidido aproveitar a força de senadores eleitos aliados dentro do Congresso, uma vez que muitos apoiadores de Bolsonaro também conquistaram mandatos de deputados e senadores.

Leia mais